Como manter a saúde mental durante o Home Office e o isolamento social?


Como manter a saúde mental em um período de pandemia onde somos forçados a fazer isolamento social, trabalhar em regime Home Office e viver em quarentena?



Os dias atuais clamam por palavras como compaixão, empatia, respeito, paciência, solidariedade entre outras. António Guterres, secretário geral da ONU, disse recentemente que: “o que mundo precisa agora é solidariedade. Que com solidariedade podemos derrotar o vírus e construir um mundo melhor!”

Augusto Cury comenta que solidariedade é enxergar no próximo as lágrimas nunca choradas e as angústias nunca verbalizadas. 

O advogado, professor e político brasileiro Gabriel Chalita, através de uma simples pergunta encontra propósito para definir solidariedade. “Está se sentindo vazio? Preencha esse espaço com solidariedade. Saia desse buraco. Há muita gente precisando de você!”

Em paralelo a esse ideal vivemos a carrancuda realidade da quarentena que faz brotar em nós uma quantidade enorme de distintas emoções que muitas vezes sequer sabemos descrever.

A gerontóloga do Método SUPERA - Ginástica para o Cérebro, afirma que os sintomas de ansiedade podem prejudicar o desempenho de atenção e de memória; uma vez que ficamos desconcentrados por pensar em várias informações simultaneamente ou por não concluir adequadamente uma tarefa iniciada.

O confinamento, o longo isolamento social pode ser terrível para alguns de nós e sentimentos como medo, angústia, insegurança, irritação podem ser gatilhos emocionais e causar consequências graves para o nosso estado mental desencadeando doenças como fobias, depressão e, em casos extremos, levar a pessoa ao suicídio.

Tendo dito isso, a pergunta para os nossos dias poderia ser: Como manter a saúde mental em um período de pandemia onde somos forçados a fazer isolamento social, trabalhar em regime de home office e viver em quarentena?

De acordo com o neurocientista argentino Facundo Manes, doutor em ciências pela Universidade de Cambridge e reitor da Universidade Favarolo, o nosso cérebro muda constantemente. É preciso estimulá-lo para mantê-lo vivo, caso contrário, ele “morrerá cedo”.

Pedro Calabrez, professor, escritor, doutor em Ciências, (Ph.D) em Psiquiatria pelo Lab de Neurociências Clínicas da UNIFESP corrobora com a afirmação acima dizendo que preservamos o nosso cérebro por mais tempo quando somos confrontados constantemente com novos desafios.

Poderíamos dizer então, que “malhar a mente” seria uma alternativa? Mas como fazer isso trancado “entre quatro paredes”? Deixo aqui algumas dicas que acredito serem valiosas:

  • Hidrate-se, alimente-se e durma bem;
  • Estabeleça uma rotina;
  • Faça coisas que dão prazer;
  • Pratique a empatia, compaixão e resiliência;
  • Tenha paciência com os idosos;
  • Seja gentil com as pessoas próximas;
  • Evite assuntos que causam ansiedade e o “bombardeio” de informações;
  • Aproveite para colocar coisas pessoais em ordem;
  • Leia e estude novos assuntos;
  • Peça ajuda se precisar!



Para aqueles que moram sozinhos além das dicas acima eu estimulo a conexão virtual com outras pessoas. Conversar e compartilhar produz uma sensação de conforto e diminui a solidão. 

Caminho para o final do texto lembrando o que muitos pensadores de alguma forma já falaram ao longo da nossa história: “coragem não significa ausência de medo, mas o domínio dele!”

Que a gente possa ser corajoso durante esse momento de crise e pandemia. “Malhar a mente” e manter saudável o nosso cérebro. Que a gente consiga manter viva a nossa fé, a esperança e o amor. Que possa haver perdão, compaixão, empatia e solidariedade entre nós.

Termino o texto com uma frase do padre Fábio de Melo postada hoje em seu Instagram que diz: 

Que a sua solidão, aquela que ninguém pode alterar nem desvanecer, seja por Deus acompanhada!

Paz e bem,
Lu Seluque

IMPORTANTE: PEÇA AJUDA SE PRECISAR! LIGUE 188

Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.