Como engajar equipes desmotivadas?

Como engajar equipes desmotivadas? lu seluque luciana seluque engajamento motivação inteligência emocional

Olá!
Esta semana ministrei aula de Gestão da Qualidade para uma turma de MBA e entre vários tópicos falamos sobre a metodologia 8D, desenvolvida pela Ford, que nada mais é do que  uma metodologia de resolução de problemas projetada para encontrar a causa raiz de um defeito, planejar ações de contenção de curto prazo e implementar soluções de longo prazo para evitar problemas recorrentes.

O último passo dessa metodologia prevê o reconhecimento do time e foi bastante interessante ouvir de um dos alunos que as organizações estimulam a aplicação do 8D, mas que , na prática, os gestores adotam o “7D”, pois esquecem a etapa do reconhecimento.

Fiz algumas piadas para tentar manter o interesse da classe pelo assunto, mas confesso que é dolorido ouvir esse tipo de feedback.

O filósofo Mário Sérgio Cortella afirma que o salário não é a principal fonte de insatisfação e desmotivação, mas a ausência de reconhecimento!

Em seu livro “Por Que Fazemos O Que Fazemos” Cortella comenta que as pessoas almejarem atividades que proporcionem satisfação pessoal, reforça a importância do reconhecimento individual e da equipe e afirma que ser “mais uma peça do jogo” é um grande fardo nos tempos atuais.

Falta de confiança nas decisões gerenciais, falta de comunicação e transparência, micro gerenciamento, sentimento de subutilização, falta de perspectiva de progressão na carreira, carga de trabalho não gerenciável e ambiente de trabalho inadequado são outros fatores que podem criar desengajamento.

Falta de foco, mudança geral no humor e comportamento, comentários ou observações impróprias, "distanciamento" dos colegas, pausas, ausências ou tempo longe da mesa aumentados e maior tempo para começar a trabalhar depois de chegar ao escritório são sinais de alerta de que um funcionário está desengajado.

Pessoas automotivadas naturalmente são engajadas, comprometidas, determinadas e resilientes. Muitas vezes não estão satisfeitas com o seu salário ou com o ambiente profissional que estão inseridas, mas ficam firmes em seus valores e encontram alternativas para manter-se focadas em seus objetivos.

O mundo corporativo ideal é formado por pessoas automotivadas, mas o que fazer quando temos em nossas mãos uma equipe desmotivada?

O que podemos fazer para influenciar e melhorar a motivação e o engajamento?

Demostrar empatia, compaixão, cordialidade, interesse genuíno pelo indivíduo e pela equipe, comunicar-se de forma simples, transparente e objetiva, praticar a escuta ativa, construir um ambiente de confiança, estabelecer metas claras, oferecer novos desafios, flexibilidade no trabalho e incentivos adicionais como treinamentos são algumas ações que fomentam engajamento.

Vale lembrar que não existe uma “formula mágica” para motivar e engajar pessoas, entretanto acreditar no valor do fator humano dentro das organizações e entender a importância de inspirar e reconhecer os colaboradores são fatores críticos de sucesso!

Paz e bem.
Lu Seluque

Siga meus canais! 👍
👉Luciana Seluque Page  https://www.facebook.com/controledossentimentosegestaodasemocoes/
👉Blog https://www.lucianaseluque.com/
👉Radio da Lu https://radiodaluseluque.blogspot.com/
👉SoundCloud (Podcasts) https://lnkd.in/dcNvxtM
👉YouTube (Luciana Seluque) https://goo.gl/k1xSVy
👉Newsletter https://goo.gl/xFxH4F    
👉e-book gratuito | Comunicação https://lnkd.in/d_KF4Yq




Sabe qual o caminho da alta performance?

Sabe qual o caminho da alta performance?
Autoconhecimento e gestão das emoções. Este é o caminho para o sucesso profissional!! Augusto Cury diz que sem a gestão das emoções ricos se tornam miseráveis, casais começam seus relacionamentos no céu do afeto e terminam no inferno dos atritos. Sem gestão da emoção profissionais sabotam a sua eficiência! Precisamos aprender a fazer a gestão das nossas emoções e a encontrar equilíbrio entre mente e coração!! Vamos juntos nesta caminhada??

Postagens mais visitadas!!