Pular para o conteúdo principal

Como dizer a verdade sem ferir pessoas?






Luciana Seluque, Verdade, Inteligência Emocional, Comportamento, Mentira
Falar a verdade é uma qualidade, um exercício diário valoroso e baseado na frase de Jesus Cristo onde ele afirma que “conhecereis a verdade e a verdade os libertará” eu arrisco dizer que optar pela verdade é libertador!



Olá! Hoje irei pegar o gancho do autismo para desenvolver um pensamento sobre a mentira e a necessidade de exercitarmos a verdade.

Recentemente eu tive a oportunidade de conhecer um autista através do Twitter; foi uma experiência bastante agradável, algo tão interessante que me motivou a pesquisar sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que no mundo uma em cada 160 crianças tem o espectro autista. Aprendi que existem graus de autismo que vai desde o mais severo até o mais leve, também chamado de “autismo de alta funcionalidade” ou autismo altamente funcional (AAF).

Como o autismo leve, ou AAF, é muito difícil de ser diagnosticado a escocesa National Autistic Society (NAS) alerta que existe uma "geração invisível" de adultos com autismo no mundo.

Esses “autistas invisíveis”, que não foram diagnosticados na infância, podem sofrer de ansiedade ou depressão pelo simples fato de não entenderem a causa raiz de algumas dificuldades sociais que enfrentam.

Uma característica interessante de um autista é a dificuldade com a mentira; não significa que autistas não mentem, mas que são mais ingênuos, hipersinceros e tem baixa tolerância à mentira. Isso significa que devido à sua peculiar personalidade, autistas tem muita dificuldade para falar as mentiras sociais, as “mentiras brancas”, ou omissões tão comuns entre os neurotípicos.

O escritor Oscar Wilde comenta que a finalidade do mentiroso é simplesmente fascinar, deliciar e proporcionar regozijo. Ele é o fundamento da sociedade civilizada.

Já Nelson Rodrigues tem uma frase famosa onde ele diz: mintam por misericórdia!

Tendo dito isso, eu reflito sobre a dificuldade que autistas tem para viver em uma sociedade onde a mentira se faz necessária.

A indagação que tenho é: será mesmo? Será mesmo necessário criarmos um mundo ilusório, ou omitirmos fatos, para conseguirmos viver em sociedade?

Quero crer que não! Inclusive eu acredito que optar por ser verdadeiro melhora a nossa qualidade de vida, pois diminui o estresse e permite que nossa consciência fique mais tranquila.

Entretanto, será que existe uma forma mais branda para falarmos a verdade sem ferir as pessoas ou destruir nossos relacionamentos?

O poeta Henry David Thoreau afirma que são necessárias duas pessoas para falar a verdade, uma para falar, e outra para ouvir.

Baseado nessa afirmação eu sugiro 8 Dicas para ajudar você a refletir sobre como dizer a verdade evitando magoar, ferir ou desgastar seus relacionamentos, são elas:

1.   Seja sincero
Sinceridade, lealdade, autenticidade, genuinidade são características positivas e descrevem o caráter de uma pessoa. Reflita!

2.   Exprima respeito
Mostre respeito e consideração com o próximo em tudo o que você for realizar na vida. Sempre!

3.   Demonstre empatia
Seja sensível, sem preconceitos ou julgamentos. Use e abuse da sua empatia.

4.   Expresse-se com clareza
A assertividade na comunicação é uma constante necessária, quase mandatória.

5.   Use palavras construtivas e positivas
O uso de frases ou palavras positivas ajudam a fazer com que o seu cérebro entre em um estado de relaxamento durante situações adversas. Esbanje!

6.  Tenha disposição para ouvir
Poucas pessoas sabem ou tem disposição para ouvir; fique atento a isso. A escuta ativa ou afetiva faz parte de uma comunicação saudável. Ouça mais e fale menos.

7.   Identifique os aspectos positivos da situação
Os conflitos em sua maioria têm um lado positivo. Identificar os aspectos positivos de uma situação é importante. Busque tirar algo de positivo de qualquer conflito, aprenda com as questões e opiniões levantadas. Entenda que nós podemos crescer, amadurecer e sair melhor dos conflitos que vivemos; tudo vai depender de como reagimos a eles.

8.  Não assuma que sabe o que o outro pensa, sente ou viveu
Dê a outra pessoa o benefício da dúvida, não faça conjecturas. Não leve tudo para o lado pessoal. Veja o lado bom e as qualidades que a outra pessoa tem. Lembre que errar é humano, que palavras machucam, então antes de repreender alguém, observe as suas palavras e cuide para não ferir a alma da pessoa.

Caminho para o final do texto de hoje com uma frase fantástica do filósofo Roger Scruton falecido no dia 12 de janeiro deste ano onde ele argumenta que quando a verdade não pode se tornar conhecida em palavras, ela se torna conhecida em ações!

Falar a verdade é uma qualidade, um exercício diário valoroso e baseado na frase de Jesus Cristo onde ele afirma que “conhecereis a verdade e a verdade os libertará” eu arrisco dizer que optar pela verdade é libertador!

Prefira a verdade! Falar a verdade é sempre a melhor opção!

Paz e bem,

Lu Seluque

Siga meus canais! 👍

👉Twitter https://twitter.com/LuSeluque
👉SoundCloud (Podcasts) https://lnkd.in/dcNvxtM
👉YouTube (Luciana Seluque) https://goo.gl/k1xSVy
👉Newsletter https://goo.gl/xFxH4F   
👉e-book gratuito | Comunicação https://lnkd.in/d_KF4Yq