Pular para o conteúdo principal

Felicidade e Inteligência Emocional









#luseluque Luciana Seluque Felicidade e Inteligência Emocional
felicidade é um sentimento, um estado de espírito, uma cosmovisão, uma atitude de gratidão e a maneira que gerimos as nossas emoções influencia diretamente nesse sentimento.





Olá!
Ser feliz é um dos maiores desejos do ser humano e parafraseando o Tim Maia eu pergunto, onde está essa tal felicidade?
Felicidade é uma sensação de contentamento. Os filósofos relacionam a felicidade com satisfação ou prazer e estudavam qual o comportamento e estilos de vida poderiam motivar, produzir e proporcionar a plena felicidade.

Aristóteles diz que a felicidade não se encontra nos bens exteriores, que diz respeito ao equilíbrio e harmonia da prática do bem.
De acordo com Epicteto, não devemos buscar a felicidade fora de nós, mas dentro, caso contrário nunca a encontraremos.
Com um olhar mais reflexivo Salomão pondera sobre essa busca e sugeri que a felicidade não está na riqueza, na fama ou no sucesso, pois tudo isso é passageiro, insuficiente, superficial e afirma que esse tipo de busca está relacionado à um coração vaidoso. Diz também que um coração feliz torna pessoas mais bonitas!
Pirro de Élis tem outro ponto de vista e acredita que a felicidade acontece através da tranquilidade.
Já Victor Hugo fala que a suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é.
David Steindl-Rast fala que a gratidão é um caminho para encontrarmos felicidade.
Com uma perspectiva mais contemporânea, Drummond comenta que a felicidade é um estado de espírito transitório por natureza, que temos momentos de plenitude, divinos, celestiais, mas, ao lado disso, tem a rotina, a dor de barriga, a dor de dente, a conta por pagar.
Através do prisma da Inteligência Emocional, Daniel Goleman afirma que a capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos, de nos motivarmos e de gerir bem as nossas emoções ajuda em nossos relacionamentos interpessoais e seguir em frente, mesmo diante de frustrações e desilusões.
A Inteligência Emocional nos auxilia a identificar os gatilhos emocionais e os sentimentos envolvidos em determinada situação assim como a disciplinar e canalizar nossas reações de forma adequada, motivar e encorajar outras pessoas e a melhorar a forma que nos relacionamos com o mundo.
Um profissional que tem a Inteligência Emocional desenvolvida normalmente tem maior autoconhecimento, compaixão, empatia, confiança, flexibilidade, resiliência e atitude positiva.
Estudos sobre psicologia positiva sugerem que a compaixão, a empatia, o altruísmo e a atitude positiva produzem a sensação felicidade.
Arrisco compilar todas essas ideias e dizer que felicidade é um sentimento, um estado de espírito, uma cosmovisão, uma atitude de gratidão e a maneira que gerimos as nossas emoções influencia diretamente nesse sentimento.
Termino o texto de hoje afirmando que pessoas felizes normalmente se relacionam com o mundo de forma positiva!

Paz e bem,
Lu Seluque