Sonhar é preciso. Planejar é fundamental. Executar é vital!




Na maioria das vezes que analiso a causa raiz de um plano ter falhado eu concluo que existia um “ruído” que não estava identificado no plano ou na lista dos riscos do projeto; este ruído eu chamo de auto sabotagem!



Como uma boa engenheira e gerente de projetos o planejamento da minha vida pessoal e profissional estão, no mínimo, sempre atualizados.

Tenho pronto para quem desejar ver um Canvas, um mapa mental, um planejamento estratégico com objetivos, metas e datas para as minhas “entregas” e tudo mais. Dá até gosto de ver!

Sou um exemplo, então? Claro que não!

Encontro aconchego e paz quando lembro de um pensamento do Peter Drucker que diz:

“Nem uma única vez consegui realmente seguir à risca o plano feito em cada mês, mas isso me forçou a tentar atingir a proposição de Verdi de "lutar pela perfeição", embora ela tenha sempre me escapado".

Por que não conseguimos realizar nossos planos de forma apropriada e satisfatória?

Vou tentar responder através do tripé sonhar, planejar e executar. Vamos lá...

Sonhar é preciso!

Johann Goethe fala que qualquer coisa que você possa sonhar, você pode começar. A ousadia tem genialidade, poder e magia em si.

O sonho é a semente de qualquer processo de mudança. É através do sonho que vislumbramos o nosso futuro!

Porém sonhar, apesar de aprazível e necessário, é uma atividade passiva então precisamos dar um passo além.

Planejar é fundamental!

De acordo com Thomas Edison, boa sorte é o que acontece quando a oportunidade encontra o planejamento.

O planejamento surge, muitas vezes, naturalmente quando os objetivos e metas a serem alcançados são claros, racionais, estruturados e organizados.

Mas como o papel aceita tudo, ter um planejamento estratégico detalhado e com metas definidas não basta, precisamos de mais esforço para continuar caminhando.

Executar é vital!

Margareth Thatcher comenta que devemos planejar o nosso trabalho para hoje e todos os dias. Em seguida, trabalhar o plano.

Já Johann Goethe diz que não basta saber, é preciso também aplicar; não basta querer, é preciso também fazer.

O planejamento é moldado pela execução!

De nada adianta ter um plano se essas ideias não forem bem conduzidas para se transformarem em ações.

A minha experiência pessoal diz que é na fase da execução que o planejamento vai por água abaixo.

Falta de foco, motivação e disciplina são fortes motivos e não podemos desprezá-los em nenhuma hipótese, mas arrisco dizer que o autoconhecimento, ou a falta dele, é um fator crucial.

Na maioria das vezes que analiso a causa raiz de um plano ter falhado eu concluo que existia um “ruído” que não estava identificado no plano ou na lista dos riscos do projeto; este ruído eu chamo de auto sabotagem!

A auto sabotagem provoca grande prejuízo, mas nem sempre nos damos conta do que estamos fazendo.

Precisamos nos conhecer a fundo para entendermos onde e quando iremos tropeçar. É necessário reconhecer quais são as nossas crenças incapacitantes e trabalhar duro para superá-las!

Certa vez li um texto que dizia que uma pessoa que se auto sabota é alguém que conheceu muitas dificuldades na vida, alguém que já sentiu bastante dor e teve que se “reconstruir” diversas vezes.

E reconstrução lembra o que? Aquela palavrinha famosa... resiliência!  

Independente do que tenha acontecido conosco, a vida é difícil, muitas vezes cruel e nós precisamos entender que cada problema, cada dificuldade nos ajuda a crescer e a desenvolver.

Sábio é aquele que reconhece que cada dor, na verdade, é uma oportunidade para aprender e fazer melhor e que é enfrentando os desafios que nos tornamos fortes!

E voltando ao objeto sonho... 

Fernando Pessoa que afirma que: “Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso”.

Desejo que o próximo ano seja um ano repleto de sonhos. Que cada sonho possa tornar-se um plano e que os planos saiam do papel!

Que seja um ano de realizações, de construção de novas, dignas, valorosas e eficazes experiências. Que haja motivação, esforço, superação e que nossa confiança e energia sejam renovadas a cada amanhecer!

E como afirma Paulo de Tarso, que em nosso meio haja amor, esperança e fé, mas que o maior entre eles seja sempre o amor! 

Paz e bem,
Lu Seluque


DIVIRTA-SE COM MEUS TEXTOS ANTERIORES!

E-book gratuito | Comunicação

Apagando incêndios em projetos!

Medo, auto sabotagem e a importância da gestão das emoções!

POR QUE SEGUIR A LUCIANA SELUQUE?

Foco - Um "serumaninho" com dificuldades - Parte 1

Propósito, automotivação e felicidade!